Microsoft e a instabilidade dos Windows 9x

por em:

MS-DOS Box.

No primeiro dia Bill fez o DOS, viu que era bom e o abençoou. No segundo dia Bill fez o Windows 3.x, viu que era bom e o abençoou. No terceiro dia Bill fez o Windows 95, viu que era bom e o abençoou. E assim tem sido a história dos travamentos e telas azuis dos Ruindows desde os primórdios da informática.

Os primeiros processadores x86 tinham apenas um método de operação: o modo real. A partir do 80286 é implementado o modo protegido que traz vantagens sobre os anteriores tais como: suporte a multitarefa, proteção de memória e memória virtual; tudo via hardware. Entretanto por motivos de compatibilidade os novos chips legavam o jeitão dos antigos, funcionando assim nos dois modos, ficando a escolha a cargo do sistema operacional.

Tela do Windows 3.11Dos e Windows 3.x

O DOS foi escrito sob os termos do antiquado modo real, por isso era possível rodar apenas uma tarefa nele.

O nem tão inovador Windows 3.x usava o “modo protegido”. Entre aspas, pois ele não fazia a proteção da memória, tudo é carregado numa única área. O controle e divisão das tarefas ficam totalmente a cargo dos aplicativos, se um deles cometer qualquer tipo de erro, o sistema para. Chamaram isso de multitarefa cooperativa, algo do tipo, tomara que não trave, uma simulação da multitarefa via hardware. Com o controle dos recursos a cargo dos programas era extremamente comum um invadir o espaço do outro de forma a travar o sistema. Além disso ele não era uma plataforma, era apenas um ambiente gráfico, pois precisa do DOS para ser executado.

Portanto se fazia necessário um sistema operacional totalmente novo, que não rodasse mais sob DOS e usasse corretamente o modo protegido. Um sistema assim faria uso de todo o poder e recursos dos chips modernos, gerenciando a memória e a multitarefa de forma a impedir que os programas entrassem em conflito. A Microsoft, em 1994, anunciou: nosso Windows 95 vai ser assim!

Windows 95 A Promessa

Mas não foi. O Windows 95 continuou instável como seus antecessores, melhor, mas instável. Para entender o motivo vamos frisar dois pontos. A multitarefa cooperativa (usada no modo real) é um método onde o gerenciamento dos recursos do PC ficam a cargo dos aplicativos, gerando instabilidade. Já na multitarefa preemptiva (modo protegido) o processador e o sistema operacional controlam os aplicativos evitando que eles entrem em conflito.

Bill Gates apresentando o Windows 95.

O Windows 95 deu um grande salto, usava o modo protegido e a multitarefa preemptiva. Isso deveria garantir a estabilidade do sistema mas dois fatores fizeram com que isso não fosse uma realidade:

Ele ainda rodava sobre o DOS, afim de manter compatibilidade com todos os softwares antigos. Quando alguma sub rotina do DOS era chamada ou quando algum programa desenvolvido originalmente para o DOS era aberto, ele passava para modo cooperativo,  é ai que morava o perigo. Nesses casos o controle da memória e da CPU  ficava totalmente a cargo dos programas, um invadia o espaço do outro, e assim nasceram as famosas e irritantes telas azuis.

Tela azul Do Windows.Mesmo usando aplicativos desenvolvidos especificamente para o 95 ele ainda dava pau, pois o sistema não tem prioridade sobre os mesmos. Quando algum programa entrasse em um loop que consumisse todos os recursos do processador o Windows iria fatalmente travar, sem ter como fechar-lo, se fazia necessário resetar o computador. Desse modo considera-se que o Win95 usava uma multitarefa denominada semi-preempitiva (modo semi protegido) já que não se utiliza de todos os recursos de uma verdadeira multitarefa.

Finalmente a Solução

A linha denominada Windows 9x: Windows 1.x, Windows 2.x, Windows 3.x, Windows 95, Windows 98, Windows Millenium que é voltada para usuário doméstico tem esse problema de instabilidade. A linha NT e 2000, mais especifica para empresas, não tem esse problema. Finalmente em 2001 a linha 9x deixa de existir e é lançado o Windows XP. Um sistema baseado no NT/200 que realmente trabalha em modo protegido e usa um núcleo totalmente novo e independente do DOS, oito anos após a promessa do Windows 95 fazer isso.

Resumindo, no principio as CPUs executavam uma tarefa por vez no chamado modo real. Posteriormente foi desenvolvido o modo protegido e a multitarefa. Afim de manter compatibilidade a Microsoft “misturava” esses modos o que gerava instabilidade nos seus produtos. Apenas com o Windows XP isso deixou de ser uma realidade.

Camiseta tela azul.

Apesar do fato de esses problemas terem criado os usuários anti microsoft, não é difícil imaginar por que eles optaram por fazer desse modo. Imagina você lançar um novo SO e dizer ao dono de uma empresa que ao compra-lo será necessário ainda trocar todos os seus outros programas. Ele vai calcular o custo e não vai gostar. Ou seja, bom ou ruim, a linha Windows e e sua metodologia de compatibilidade (instabilidade) ajudavam o til Bill Gates no que ele mais sabia fazer: VENDER! E assim tem sido a história dessa empresa, fazer softwares ruins, fáceis de usar e que vendem, vendem muito.

! 2 comentários até o momento

Escreva O Seu Comentário!

Ficou com alguma dúvida?
Tem uma crítica construitiva ou uma sugestão maneira?
Escreva ai embaixo, mas não maltrate o português, por favor!

  1. gadarf comentou: responder

    Que bom que tenha gostado e obrigado pela crítica.

  2. Vitalino Victor comentou: responder

    Adorei o texto.
    Bem ilustrado, bem escrito e fácil de entender.
    Acabei de lê-lo aqui e gostei muito muito.

    []’s
    Vitalino Victor